A cegonha está chegando !

Lilypie Expecting a baby Ticker

Desde a viagem se passaram:

domingo, 30 de dezembro de 2007

Vontade de escrever

Hoje acordei, fiz o de sempre, um cafe e vim para o computador, comecei a ler uns blogs e me deu vontade de escrever, coisa que se dependesse de mim coitadinho do blog. Vamos lá, mas escrever sobre o que?!!!!! Puxa vida, época de Natal, ano novo e eu não tenho nada pra escrever? Que tal fazer um balanço do ano então, nossa que idéia genial! Hahahahah Bom, o ano passou e muuuuiiiiitttta coisa aconteceu, até carteira de motorista no Canadá eu já tenho. Anyway, acho que aconteceu tudo que queríamos, que planejamos. Tá certo que o começo do ano até o processo mostrar sinal de vida foi foda, mas resumindo, pô viemos para o Canadá, fomos recebidos por amigos que praticamente não nos conheciam e minha nossa que amigos (http://casanocanada.wordpress.com e http://www.wagnerdasilva.com/)! Aproveito para dar um super Obrigada mais uma vez! Alugamos uma casa, o Klaus conseguiu emprego (com a super ajuda do migo balordo http://quentinhas.org (linguagem from São Roque, não sabe onde fica São Roque? Deixa assim), brigaduuu migoooo!!!!!). Compramos uma casa, sim pessoas, nós que morávamos num apartamentinho (muito aconchegante por sinal) de um quarto, com umas quatro chaves pra conseguir entrar, compramos uma casa de 3 quartos, sem grades, e temos um código pra abrir a porta, ou uma chave! Eu consegui um emprego! E acho que por último eu passei na prova de motorista (agora falta tu miga balorda de São Roque e esposa do migo balordo) e hoje domingo, estou indo trabalhar no Dollarama de Honda Civic hahahahahah (pra quem tinha um Celtinha vermelho muito simpático) quem diria hein?!!!!!!!! Nossa falando tudo isso assim até assusta, é muita coisa boa! Mas ......que continue assim!!!!!!

Para 2008 deixa eu ver.....acho que resta pagar as contas!
Conseguir um emprego melhor!
Ter um filho mas esse depende só 25% de mim, 25% do Klaus e 50% do cara lá de cima!
Ver a família! (eu ir)
Ver a família! (eles virem)
Acho que era isso gente. Aproveito para desejar um feliz 2008 para todos os leitores do blog, que o ano novo seja cheio de realizações, saúde, alegrias, paz, amor e sucesso!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Aos leitores

Para Eliane: Obrigado e boa sorte no seu processo. Tudo de bom para vocês também.

Para Rosa: vocês estarão convidados para o churrasco, com certeza.

Para Wagner: vamos ver. Quem sabe eu arrisco a cadeirinha uma outra hora :)

Para Dani e Rafa: a Letícia comentou que até no último domingo, dia da tempestade, as vendas estavam boas. Vai entender este povo.

Para Taís e irmão: Obrigado e tudo de bom para vocês também.

Para Daniela: continue acompanhando o blog !! :) E não vimos as fotos ainda !

Para Tiago: Valeu !! Pena que o timão não foi para a Libertadores.

Para Fábio: Não queres se juntar comigo para fundar a embaixada? :)

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

E a Letícia tem a G2 !

Hoje era o dia da Letícia fazer a prova para conseguir a G2, ou licença para dirigir sozinha. O nervosismo meu e dela eram bem aparentes.

Ela havia ficado de fazer mais uma aula no sábado e uma hoje de manhã antes da prova. Mas no sábado o instrutor "esqueceu" e quando ligamos ele disse que tempestade estava vindo. Ficamos de ter outra aula hoje de manhã as 07:30. Um pouco antes a Letícia liga e ele disse que a esposa dele vai dar a aula. Um pouco depois ele liga, dizendo que não vai dar a aula por conta das condições da estrada e que talvez nem houvesse teste hoje.

Fomos para o lugar onde o teste é feito e para nossa surpresa as provas estavam acontecendo. Com um certo atraso, cerca de 20 minutos, mas acontecendo.

Às 09:30 a Letícia foi pro carro (no fim, eu marquei a prova para as 09:40 e não 09:00.). Desta vez uma mulher como examinadora.

Fui para o centro e fiquei lá esperando, orando para que tu desse certo. E deu ! Com 3 pequenos erros ela passou ! Um dos erros a examinadora até que desconsiderou, apesar de marcar o erro no formulário: ficar na faixa errada. E como ficar na certa se nem era possível ver onde estava a marcação?

Meus parábens para a Letícia. Fez a prova depois da pior tempestade em 60 anos, com muitas ruas de Oshawa ainda com neve, algumas com um aguaceiro só e sem nenhuma experiência anterior em dirigir sob estas condições.

domingo, 16 de dezembro de 2007

E a tempestade passou

Felizmente, parou.

Depois de nevar quase sem parar, e com muito vento, desde as 08 da manhã de hoje (talvez tenha começado de madrugada), parou. Ainda tem uns flurries ou neve mesmo caindo, mas é bem pouco.

As 5 da tarde eu saí para limpar a entrada da garagem achando que estaria pronto até as 6, quando teria que buscar a Letícia. Fiquei pronto as 6 ! Nunca vi tanta neve antes.

Mas o pior nem era tirar neve até quase o joelho (em algumas áreas). Era o vento. Tu puxava na pá e quando jogava no morrinho, vinha tudo de volta. No olho, na boca, um nojo. Ainda estou com sensação de neve na ponta da língua, de respirar pela boca de vez em quando, para recuperar o fôlego.

Tive que limpar toda a minha entrada, um pouco da calçada, e avancei na rua, porque senão o carro só ia da garagem até a rua e não teria como seguir adiante. Tirei o suficiente para poder passar com o carro. Que felizmente tem uma "reduzida", onde o automático pode ficar na primeira, ou na segunda, ou nas 3 primeiras. Fui andando com a última opção. A rua na frente de casa tá um manto de neve com algumas trilhas de carros que passaram antes. A direção ali é muito ruim. E piora quando chego na rua principal: tem um morro de neve do caminhão que passou e limpou a neve da rua. Na volta tinha a mesma coisa. Era neve até a altura do assoalho do carro.

E na volta ainda ajudei a vizinha. A Letícia: vai lá, ajuda ela. Ofereci ou buscar o namorado/marido dela ou ajudar a tirar a neve. Fiquei com a neve. Ela tinha tentado tirar o carro na força bruta: atolou logo no começo da rua. :)

E lá fui eu de novo, tirar mais neve e ajudar a desatolar o carro.

Vale pelo exercício, mas é um saco mesmo. Fiquei aquela hora toda me lembrando da piada do brasileiro que foi pros EUA, torcendo para ver neve. E depois de 3 meses, não agüentava mais ver aquela m... branca. :)

Dizem que esta tempestade foi feia, mas não tanto quanto a de 1999, que descarregou 1m de neve em Toronto e fez da cidade motivo de piada até hoje: tiveram que chamar o exército para ajudar a limpar as ruas. Este ano, de acordo com os jornais, o pessoal está mais preparado. A previsão é de todas as ruas limpas pela segunda, inclusive as ruas locais.

Agora, a minha rua, quando vão limpar? Boa pergunta. Acho que vão deixar isso a cargo da mãe natureza, quando esquentar. O que não vai acontecer tão cedo. Duvido que tenha algum caminhão passando por aqui.

Algumas fotos da tempestade de hoje

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Jornal

Desde que passamos a morar na casa alugada passamos a receber o jornal da cidade, o Whitby this Week. Tanto como fonte de informação e forração para os cachorros fazerem xixi como pelos flyers, que contém as promoções nas maiores lojas da cidade. O jornal é entregue todas as quartas, sextas e domingo.

O jornal é "gratuito". Ninguém te força a pagar nada. Porém, quem entrega estes jornais são crianças da vizinhança. Então, como sinal de agradecimento e para ensinar a elas o valor do trabalho, a assim digamos assinatura é paga para estes entregadores. Eles coletam quinzenalmente 6 dólares.

Ontem o nosso entregador bateu na porta. E eu estava sem dinheiro. Os 5 dólares que tinha havia dado para a Letícia e tinha apenas 1 dólar em moeda. Pedi para o garoto aparecer hoje, achando que ele fosse aparecer pelo mesmo horário. Mas ele veio antes ! E não tinha ninguém em casa.

Estou achando que ele deve estar possesso comigo. Vou ter que deixar um envelope com o dinheiro e esperar que entregador o pegue na próxima quarta. Pior que tem gente que não paga mesmo.

Lojinhas de 1 dólar

Aqui no Canadá são até bem comuns aquelas lojinhas que no Brasil chamamos de 1,99. Só que aqui o preço é 1 dólar, mais taxas. E em alguns produtos são 2, 3 ou 4 por 1 dólar.

Uma das mais conhecidas (ao menos para mim) é o Dollarama, uma rede de lojas com sede na província de Quebéc. Também tem a Everything for One Dollar e mais algumas familiares.

Tem de tudo nestas lojas. É possível encontrar nelas inclusive items que em outros lugares são vendidos por até 6x mais caro.

Por isso, antes de sair comprando algo tudo que se vê pela frente, pare e pense: isso é algo que parece ser barato de fazer... Será que tem no Dollarama? Pote de plástico? Blocos de anotação? Ficheiros? Clipes? Envelopes? Canecas? Toalhas? Tem até comida "importada" do Brasil :)

Toda economia de dinheiro é sempre bem-vinda por estas bandas.

Pior winter storm em 3 anos

Ainda nem estamos no inverno e hoje escutei na rádio que receberemos no sábado a tarde o que parece ser a pior tempestade de neve em 3 anos. Só não sei se é a pior em 3 anos para esta época do ano. Espera-se 20cm de neve acumulada.

Mais detalhes em Environmental Canada (York - Durham é a nossa região).

Update em 14/12/2007 12:00: weather warrning. Bem assustador hein? Os snow plows vão estar a toda amanhã. E dê-lhe limpar driveway.

Update em 14/12/2007 20:20: É a pior tempestade desde 1944. Foi o último ano em que 25cm de neve caíram de uma vez só no sul de Ontario.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

E a neve?

Sim, ela está por aqui desde final de Novembro, dia 22 para ser mais exato. Nos deixou por um tempinho, mas logo veio a segunda snow storm e até agora temos neve nas ruas.

Agora, se me perguntarem se gostei ou gosto, vou dizer que tenho opiniões contraditórias.

Na primeira vez foi até bonito. Não fui trabalhar naquele dia por medo de pegar a 401 na primeira nevasca do ano. Pela manhã fomos assinar os papéis da casa e ir começando a abrir conta de água e trocar a de eletricidade e gás. Então fiquei em casa, trabalhando e olhando a neve cair, pela janela.

Mas na segunda nevasca a pessoa é obrigada a enfrentar a realidade: limpar o driveway, dirigir se torna um perigo e qualquer viagem curta se torna um rali de horas, uma caminhada de 5 minutos se torna um trekking de 30 minutos ou mais, afundando na neve e correndo o risco de cair ao pisar em lugares congelados, limpar a neve acumulada no carro estacionado (felizmente só faço isso quando volto para casa, já que deixo o carro dentro da garagem de noite), sujar a entrada da casa (a neve é água. depois que descongela, fica tudo empapado perto de onde os sapatos ficaram) e ter que se preocupar em cuidar pro carro não ficar encrustado em ferrugem.

Mas por outro lado, com neve, dá para esquiar, e a paisagem fica realmente muita bonita, especialmente nos lugares onde a neve está intocada, parecendo um tapete branco.

Minha opinião: para quem está de férias ou é criança a neve é a maior diversão. Mas para quem vive e trabalha, a neve realmente it's a pain in the ass. Mas, como se diz, temos que nos adaptar. E felizmente temos a primavera e verão na seqüência. Quando novamente perguntaremos: e a neve? :)

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

E estamos na casa nova

Isso aí.

Dia 27 de Novembro de 2007 foi o dia.

Alugamos um caminhão da UHaul, pegamos Mônica e Daniel de ajudantes e fizemos todo o trabalho pesado: cama, box, sofá, tv, mesa da cozinha e muitas caixas, caixinhas e algumas caixas grandes (não caixões porque não tinha ninguém morto para se levar).

Fomos tão eficientes que em uma viagem do caminhão e mais 2-3 do carro e estávamos instalados. No segundo/terceiro dia já tínhamos praticamente todas as caixas desempacotadas e com as coisas nos lugares.

Fica aqui meu agradecimento especial para Mônica (ajudante e também quem registrou o evento) e ao Daniel (motorista e carregador de pianos de primeira qualidade).

Agora, é comprar alguns móveis, a churrasqueira e no próximo verão, um churrasco no nosso deck. :)

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Ski

Este último sábado foi minha iniciação no ski.

É algo muito complicado!

É um tal de se apoiar nos joelhos, jogar eles pra dentro, tornozelos para trás, dedos do pé para frente, quadril assim, quadril assado... e tudo isso com aqueles skis que deixam teus pés enormes. É re-aprender a andar ao mesmo que se aprende a deslizar. Mas também tem que se aprender a frear.

Cheguei com o Wagner no ski Dagmar pelas 18:30. Compro o ticket válido por 3hrs e volto pro carro para colocar as botas. Primeiro, é muito difícil colocar elas. É preciso que ela fique bem firme e por isso não há muito espaço para o pé entrar. E a bota era um pouco pequena pra mim. Os dedões do pé ficaram "esmagados" todo o tempo.

Botas calçadas fomos lá caminhando como o Robocop. Literalmente :)

E começamos as aulas. Devia estar tão nervoso/ansioso que fiquei a primeira hora, hora e meia, com visão dupla de novo.

Depois de muitas descidas num morrinho de nada, 2 tombos leves e ver uma guria de 5 anos fazer muito melhor que eu, arrisquei no Little Momma. É uma descida pequena e não muita inclinada. Para se chegar lá em cima pega-se uma esteira onde se sobe montado nos skis, em pé.

Primeira duas descidas com o Wagner na frente, just in case. Depois, sozinho. Mas todas as vezes, 90% do tempo freando. Rídiculo, se comparado com aquele mesma guria de 5 anos, que descia como um foguete os 90% do tempo dela.

Mas o balanço foi positivo. Depois que se perde o medo e se entende que para ir pra esquerda tu se joga para a direita, até que é divertido. Mas cansa demais. :)

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Placar

Lamentável:

Porto Alegre: 503 mortos em 2007
Toronto: 79 mortos em 2007

E a população das duas cidades não é muito diferente. E Toronto não é uma das melhores cidades do Canadá.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Isso sim é alguém azarada

Dois acidentes de carro no mesmo dia !!!!! Por favor !!! :)

FERGUS, Ont.– After five collisions and two trips to the hospital in the span of a few hours yesterday, it's safe to say one Cambridge woman had a bad day on the roads.

Kelly Cooper, 40, was to spend the night in a Hamilton hospital after her car rolled repeatedly for about 200 metres along Hwy. 6 north of Guelph.

Two hours earlier, she was in an SUV driven by her boyfriend as it flipped on Hwy. 6, south of Elora.

Provincial police say the first rollover was the last in a succession of four accidents that began at 9 a.m.

A 42-year-old Fergus man is facing three counts of failing to remain after three cars were hit within a half hour before the rollover. He also faces drug impairment charges

Fonte: http://www.thestar.com/News/Ontario/article/280622

domingo, 18 de novembro de 2007

Primeiros flocos de neve

Sexta agora, dia 16, foi a primeira vez que vimos, eu e a Letícia, um pouco de neve. Até então só tínhamos visto alguns flurries.

Ela viu sexta durante o serviço, enquanto que eu vi sexta de noite. Cheguei a sair de casa para ver mas estava muito frio. Devia estar uns -4 graus e somado com o vento devia estar menos ainda. Estava com uma manga curta e um casaco de inverno e agüentei um só pouco fora de casa.

No dia seguinte, os telhados das casas estavam acinzentados (ou grisalhos, como já ouvi outros falarem), algumas partes do chão ao redores das árvores estava branco, sem contar os carros que estavam na rua e algumas cercas. Um cenário bem bonito até :)

Até umas 10 da manhã ainda dava para ver alguma coisa nas áreas onde o sol não estava pegando. Pelo meio-dia tudo tinha já derretido.

Estamos ansiosos para ver neve mesmo. O pior que a previsão para aqui é de neve bem no dia da mudança para a casa nova!

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Para que vai vir e quem já veio

Olá pessoal, hoje escrevo para divulgar o trabalho de uma amiga muito especial! Nossa amiga Rosa que já está no Canadá há quatro anos agora é uma Real State. Ela está escrevendo no seu blog sobre assuntos muito importantes para quem está interessado em comprar um imóvel por aqui. O blog está em português o que facilita bastante para quem ainda não está firme no inglês!

Então não deixem de conferir e divulgar!!!!

domingo, 11 de novembro de 2007

Irmã da Duda

Sábado recebemos a irmã da Duda: a Lisa.

Ela é uma daschund (vulgo lingüiça) preta com as patas, e algumas outras partes, marrom.

12 semanas e muito sapeca. Ainda falta aprender a fazer as necessidades no local certo. Por enquanto, já fez cocô e xixi por quase toda a sala do andar de baixo.

Ela gosta de colo e de ficar perto da gente, mas sempre que tentamos pegar ela, foge e se esconde embaixo da mesa (ontem fugia da gente e se escondia embaixo da cama). Também é bejoqueira.

Quando ela vê a Duda sai correndo atrás dela, para brincar. Mas como dizemos, a Duda não é gente: foge dela como o Diabo da cruz. Tem que ver. Parece que a coitadinha da Lisa tem espinhos. Um baita de um cachorro fugindo de um toco de cão. :)

Assim que der colocamos umas fotinhos dela.

Update: Eis a Lisa.
Os olhos azuis são do flash da câmera, ok? :)

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Flurries

Hoje "nevou".

Na verdade são flurries, não neve propriamente dita. Flurries não geram acúmulo no chão.

Bonito de se ver. Mas o tráfego já está bem ruim. Quero ver quanto tempo vou levar para chegar em casa hoje.

Extremos


Ainda estou para ver esta tal "neve".

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Fim do Horário de Verão

Domingo, dia 04, marcou o final do horário de verão por aqui. Os relógios foram atrasados em 1 hora.

Se no verão anoitecia por volta das 20:30 ou 21:00 e até sexta anoitecia 18:30, agora está escurecendo por volta das 17:30. Ontem voltamos de Pickering as 17:40 e era noite.

E dizem que no inverno fica pior, escurecendo por volta das 16:30.

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Emprego

Eu espero que a Letícia um dia escreva sobre isso. :)

Dia 31 ela começou a trabalhar part-time como cashier (caixa) de uma loja da Dollarama.

Foi um batismo de fogo. Dia 31 foi super movimentado por conta do Halloween. No dia seguinte ela mesmo comentou que foi mais tranqüilo. :D

A parte mais difícil? Segundo ela, saber qual produto tem taxas e qual não tem. E como tem um monte de miudeza nestas lojas, já deu para perceber a dificuldade.

Carro na garagem ou fora?

Até alguns dias atrás eu estava deixando o carro fora da garagem. Para começar, era um trabalho sair do carro, abrir a porta, entrar no carro, colocar o carro pra dentro e fechar a porta. Segundo, a porta por onde o carro entra não tem chave, somente a porta que uso para sair ou entrar. Daí pensei que, por mais absurdo que seja, era mais seguro deixar o carro no lado de fora, sem contar que seria mais fácil e rápido para sair caso fosse necessário.

Mas agora, depois de já ter inaugurado minha snowbrush, revi meus conceitos. E hoje eu tive uma prova que no inverno talvez seja melhor deixar o carro no lado de dentro.

Quando entrei no carro e o liguei, o termômetro que ele tem indicava 9 graus positivos. Quando sai da garagem e comecei a andar, a temperatura começou a cair. Quando cheguei na 401 já estava 0 graus. Ou seja, carro na garagem significa um carro mais quente e menos tempo do lado de fora tirando gelo e limpando neve dele.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Snowbrush

Faz cerca de 1 semana que comprei minha snowbrush. Isso nada mais é que uma vassoura de um lado e um raspador do outro.

Achava que só fosse precisar usar isso no inverno. Mas hoje de manhã acordei e olhei pro carro: o pára-brisa tava branco. Imaginei que fosse só geada e que com o limpador eu iria limpar aquilo.

Cheguei no carro, peguei um pedaço de papel e quando passei no pára-brisa...tava tudo congelado !! :)

E assim eu inaugurei minha snowbrush, no final de Outubro, ainda no Outono.

domingo, 28 de outubro de 2007

Guitar Hero III - Legends of Rock

One word: addictive. Só hoje, quando comprei o jogo, fiquei nele por 5 horas.

Aqui tem uma lista completa das músicas inclusas no jogo. Algumas são originais, outras são covers.

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Enfim, a casa - parte 2

Hoje estava respondendo alguns emails de amigos e familiares quando dei conta que não havia postado nada sobre a casa. Não, ainda não nos mudamos. Isso vai acontecer apenas dia 26 de Novembro.

Por enquanto o que temos já feito:
  • começamos a ver um seguro para a casa. Por ano uns 600 dólares;
  • também aplicamos para um seguro de vida para mim e para a Letícia, com o intuito de cobrir o mortgage. O bom deste seguro é que o valor segurado é o mesmo até o final da apólice (se algo acontecer no vigésimo ano do mortgage iremos receber o mesmo valor segurado e não apenas o valor que cobre o que falta para pagar), e o valor cobrado também é fixo. Podemos escolher entre 10, 20 ou 30 anos. Como o mortgage é de 25 anos talvez a gente opte por 30 anos;
  • já começamos a trabalhar com o advogado. Ele já recebeu através do nosso real estate agent o contrato de compra e venda e a seguradora já mandou os dados do seguro da casa.
Dia 26 de Novembro será o dia que pegamos a chave e pagamos mais algumas taxas (os famosos closing costs): land transfer, property taxes pelo restante do ano, 5 dias de juros sobre o mortgage pelo final de Novembro, title insurance (para nos protegermos contra problemas com a casa que o advogado não achou), taxas sobre o seguro do mortgage, resto da entrada e provavelmente outros custos ainda não declarados. Vai uma paulada boa aí. A coisa boa, se podemos descrever assim, é que a primeira parcela do mortgage é dia 01 de Janeiro de 2008. Como já pagamos o último mês do aluguel, serão Novembro e Dezembro sem pagamento de aluguel ou mortgage.

A única preocupação nisso tudo são os appliances. Segundo já ouvimos, é comum os donos dizerem que a casa vem com os appliances, tu vai e olha e descobre que a marca é boa. Na hora de tomar posse, no entanto, os appliances são outros. Entrei em contato com o real estate agent e a secretária dele me disse que os appliances teriam que ser aqueles que estavam na casa no momento da oferta. Como provar isso? O inspetor que fez a vistoria na casa tirou fotos e anotou o modelo e número de série dos aparelhos. Acho que ele fez isso por iniciativa do meu real estate agent (eu não estava na vistoria, mas deve ter sido isso que aconteceu).

Só que me falta ter que comprar appliances novos ou colocar o ex-dono da casa, um oficial da OPP (Ontario Provincial Police), na justiça por conta de "quebra" de contrato.

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Chad Vader - Day Shift Manager - Episode 1

Funny :D

We came to play

Este é o novo xodó lá em casa. Adquiri ele na última sexta-feira, Dia da Criança no Brasil (aqui não).



É diversão garantida para aqueles que não gostam de ter que aprender como lidar como "trocentos" botões, coletar "energias", adquirir items para um personagem, jogar horas e horas e mais horas para acabar um jogo e por aí vai.

É tão simples de usar que até a Letícia entrou na dança. Literalmente. :)

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

A incerteza

Acho que todas pessoas passam por isso várias vezes na vida. A incerteza. Do que é certo e do que é errado, do que é apropriado ou inapropriado, do que é inteligente ou burrice, do que é seguro ou arriscado, do que é conveniente ou inconveniente, do que é mais fácil ou mais difícil.....

Quase sempre optei pelo arriscado dentro do que eu acho certo, apropriado, não sei se sempre foi o mais inteligente, nem o mais conveniente e nem sempre o mais fácil.

Sou uma pessoa que precisa de objetivos para poder traçar um caminho, para ter um rumo na vida, para não me sentir perdida. Relembrando meus objetivos agora vejo que a minha vida profissional esteve presente somente em 2 desses objetivos, do resto sempre os objetivos “familiares”. Isso porque pra mim família é mais importante do que dinheiro? Talvez, nunca pensei a fundo sobre isso. Pode ser também porque nunca encontrei uma verdadeira paixão pela minha vida profissional. Enfim, tentei algumas vezes me encontrar profissionalmente, mas não deu certo, e por hora decidi colocar essa parte de lado. Quem sabe um dia eu me encontre, e talvez isso aconteça naturalmente sem eu esta procurando e tentando e pensando sobre isso.

Enfim, sempre consegui realizar os meus objetivos, sempre foi muito legal, cada um deles, teve um só que eu achei que não agregou muito, mas como sou a favor da famosa frase “antes se arrepender de ter feito do que de não ter feito” valeu a pena. E quando acho que enfrentar esses objetivos é legal, emocionante, frustrante algumas vezes, me vejo agora tento um objetivo que não é exatamente o mesmo do meu companheiro de todas as horas. Percebo que todos os obstáculos que eu passei não foram tão duros pois sempre tive essa pessoa para dividir minhas dúvidas, frustrações e alegrias, pois sempre tínhamos os mesmo objetivos. Agora o meu objetivo não depende só de mim....Me pego pensando se devo mesmo adiar como me foi proposto, mais uma vez. Será? Será que dessa vez eu tenho que mudar o meu critério e optar pelo seguro? Pelo apropriado, ou seria inapropriado? Burrice não seria com certeza. Conveniente? Depende do ponto de vista. Mais fácil? Depende também. E agora o que eu faço? Estou perdida, sem rumo....sem objetivo. Aliás eu tenho esse objetivo mas...pelo jeito terei que adiar mais uma vez, porque esse não depende só de mim.

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

O verão acabou?

Oficialmente, já estamos no Outono por estas bandas. Mas de acordo com os registros meteorológicos, parece que ainda não saímos do verão. Tivemos vários dias em Setembro que foram mais quentes que o normal.

Para hoje, Dia de Ação de Graças (Thanksgiving Day) a previsão é de 30 graus em Toronto e cidades como Ottawa e Peterborough. Não muito uma temperatura típica para este dia.

Isso significa que o inverno será mais quente? De acordo com os dados, é bem provável que seja um inverno mais frio e úmido que o do último ano. Os cientistas dizem que isso seria causa do La Ninã. Para o oeste do Canadá a previsão para o inverno não é nada animadora também.

Se as previsões se confirmarem, será nosso batismo de "inverno". Não só pegaremos o inverno canadense pela primeira vez como iremos pegar "o" inverno: "...says senior climatologist Dave Phillips at Environment Canada: It will definitely be a longer winter than last year and may be colder ..." Texto original aqui.

domingo, 7 de outubro de 2007

Hydro

Hydro é como conhecemos a fornecedora de energia elétrica por aqui. Pelo que entendi há outras companinhas que prestam este serviço, mas nosso fornecedor é a Hydro. Então, se falamos de Hydro estamos falando de energia elétrica (utility) e também da empresa.

Bem, quando fizemos o contrato com a Hydro, na metade de julho, eu não sabia bem ao certo se o plano era mensal ou bimestral (há uma opção para se pagar a conta apenas a cada 2 meses, entre outras opções como sempre se pagar o mesmo valor, independente do mês).

Isso foi em Julho. Havia feito o contrato com pagamento em débito em conta, para evitar um depósito de 200 dólares, e até sexta-feira, dia 05, eu não havia sido cobrado.

Aproveitando que dia 05 eu havia tirado um day-off para fazer minha prova de direção e ir no médico de família, passamos na Hydro. Chegamos 10 minutos antes do fechamento (16:30!!) e a recepcionista nos diz: a sua conta será cobrada dia 18/10.

Chegamos em casa, fomos ver a caixa de correio e lá estava a conta da Hydro. :D

Por 2 meses e pouco de uso, principalmente geladeira e fogão, nos irão cobrar 99 dólares. Mas deste valor, aproximadamente 40 dólares são só para cobrir custos de transporte da energia elétrica e não particularmente o nosso uso. Não é de se admirar, portanto, que o que mais se vende por aqui são ainda lâmpadas incandescentes (felizmente, há várias campanhas tentando mudar este comportamento).

Lavando roupa e os amaciantes líquidos

Esta semana que passou trocaram as máquinas de lavar roupa aqui do condomínio. Com isso o preço também subiu, indo de $1 para $1,25.

E nestas novas máquinas há espaço para amaciantes líquidos, o que corrige o que disse alguns posts atrás: que não há amaciante líquido por aqui. De fato, há. Mas os "panos" fazem um serviço melhor :D

Speeding

Agora virou lei.

Desde o último sábado se qualquer pessoa for pega dirigindo 50km/h acima do limite de velocidade ela será enquadrada como street racer. O carro será guinchado e o condutor perderá a carteira por 1 semana. Sem contar que a pessoa terá que ir ao tribunal.

Isso foi resultado de uma série de mortes causada por motoristas dirigindo muito acima do limite de velocidade e que sofriam penas leves: apenas uma multa de 2mil dólares e ter que ir ao tribunal. Mas logo após ter sido multada a pessoa podia seguir dirigindo.

No primeiro dia da aplicação da lei 28 motoristas foram autuados. Até agora, 225 carros já foram guinchados. Mas como pode ser ver, ainda há muito o que se fazer. Hoje duas mulheres morreram numa colisão gerada por 2 irmão dirigindo 2 carros a 140km/h numa área com limite de 80km/h

Médico de Família

Finalmente. Agora temos um médico de família, o doutor Jafrudy (pronuncia-se jeifrúdi). Acabamos indo no mesmo médico que uns amigos foram, que por sorte, mora em Whitby e estava aceitando novos pacientes (este é um assunto muito sério por aqui. Os médicos de família são obrigados a aceitar apenas um determinado número de pacientes. Só que existem mais pacientes que médicos disponíveis. E os políticos não conseguem reverter o quadro. Para médicos recém-formados os EUA são um mercado tentador, que paga bem em comparação com o salário pago pelo governo aqui. E considerando os custos de formação, não se pode culpar os médicos).

Fomos no consultório na sexta-feira, dia 05, logo no começo da tarde. Chegamos no horário exato, mas devíamos ter ido um pouco antes pois logo que chegamos e falamos o que queríamos tivemos que preencher alguns formulários. Felizmente o médico logo nos atendeu.

A "consulta" foi rápida e objetiva: alguns dados pessoais, se tomávamos algum medicamento, se tinha alguém na família com problemas, falamos de algumas coisas que queríamos dar uma olhada, falamos do meu problema de visão dupla, e era isso. Ele nos deu requisições para fazer exames de sangue e nos disse que voltaríamos a falar quando do nosso check-up, que por aqui se chama physical.

Da entrada no consultório até a saída deu uns 45 minutos, se muito :)

No escritório

Essa semana que passou marcou a minha transferência. De mesa.

Antes sentava bem próximo da entrada principal e do dono da empresa. Agora estou sentado próximo do presidente da empresa e da cozinha :)

Pelo menos estarei longe da minha colega chinesa que passa 90% do tempo falando em chinês. Meus novos colegas de área falam 99% do tempo em inglês e isso só pode ser bom para mim.

Outra coisa que aconteceu, mas há algum tempo, foi que troquei de computador. Estava com o pior laptop de toda a empresa, mas agora tenho um Dell D620, Core 2 Duo com 2gb de RAM, 80Gb de HD e uma tela widescreen. E com uma bateria que dura de 4-5horas.

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Enfim, a casa

Ontem de noite recebemos a notícia pelo nosso agente (ou realtor): finalmente todas as condições foram aceitas e os donos da casa assinaram os papéis que faltavam para finalizar a compra da casa.

Ou seja, somos os mais recentes homeowners aqui no Canadá que vocês podem conhecer. :)

A história da casa começou depois que consegui a carta me liberando do probation cerca de 7-8 dias antes do prazo oficial. De posse da carta contatamos o nosso mortgage broker (o cara que seria responsável por nos conseguir o financiamento ou mortgage) e marcamos uma reunião aqui em casa para conhecermos ele, tirarmos algumas dúvidas e entregarmos alguns documentos e dados de que ele necessitava. 2 dias depois ele nos deu o ok para começarmos a procurar casas.

Comprar casa aqui me parece um pouco diferente do que no Brasil. Começando pelo mortgage broker, temos depois o realtor ou buyer's agent. É este o cara que vai procurar as casas para ti, te levar para conhecer elas, tirar tuas dúvidas e no fim do processo fazer a proposta para os donos da casa que está a venda e tentar barganhar algum desconto. No nosso caso o nosso agente também cuidou dos detalhes do contrato, cuidando de nossos interesses e cuidando para que não nos metéssemos numa furada. O que o realtor ganha? Metade da comissão que o agente dos vendedores irá ganhar e futuras indicações. Não parece muito, considerando que a comissão é de cerca de 3-5% do valor da casa, mas como as casas aqui não são baratas, acaba sendo uma boa grana, ainda mais num mercado aquecido como o daqui.

Depois de receber alguns emails com algumas casas a venda começamos a olhar algumas opções. Na primeira vez que fomos ver algumas casas vimos 3. A primeira que vimos era muito linda, com basement finalizado. E a última era enorme e muito bonita. Mas como estávamos na dúvida e também por termos visto só 3 casas, não fizemos nenhuma proposta. Olhamos mais algumas e quando pensamos em fazer uma proposta para a primeira casa, ela já tinha sido vendida. As casas aqui em Whitby, com algumas exceções, vendem em questão de 1-2 semanas. As boas ficam no mercado por 3-4 dias apenas.

Nossa idéia era uma casa mais ao Sul de Whitby e mais perto da 401. Mas um dia achamos 2 casas ao Norte, mais ou menos na mesma altura da nossa atual, mas mais para o Oeste. Fomos ver elas e a Letícia se apaixonou pela primeira. E eu também. É muita bonita e parecia bem cuidada, e com cores decentes (fomos ver uma que era mais perto do Sul, mas toda rosa por dentro, simplesmente horrível).

Nós visitamos a casa dia 24 de setembro por volta das 19:00 (isso depois de termos enviado emails para o agente e não termos obtido resposta. Segundo ele, houve algum problema e os emails não estavam chegando ao Blackberry dele).

Decidimos fazer uma proposta. O que significava que realmente queríamos a casa. Se a pessoa chega neste ponto o assunto fica sério. Fomos da casa para o escritório do agente, que fez a papelada necessária para a proposta. Ele ligou para o agente que estava listando a casa e marcou para o mesmo dia, 09:15 da noite. Assim, rapidinho. :)

Assinamos os papéis e fomos para casa comer algo. Ficamos de encontrar o agente as 09:30. Na hora combinada ele estava na frente da casa, esperando. E ficamos um tempo ali esperando. Segundo o agente, era um bom sinal. A nossa proposta tinha sido cerca de 7mil dólares abaixo do preço listado (que já tinho sido reduzido em 4mil entre a listagem original e o preço que nos foi dado). Lá pelas 10:45 chamaram o nosso agente.

Aqui é assim: tu faz a proposta, toda bonitinha. O pessoal, se está a fim de negociar, risca no papel as coisas que não gostam ou adicionam o que está faltando, e te devolvem. No nosso caso, devolveram abaixando o preço em apenas 1mil dólares. Ficamos um tempo pensando e voltamos com uma proposta de então baixar o preço em 4mil dólares. Os donos devolveram baixando o preço em 2mil dólares. Que no fim aceitamos, pois a casa do lado tinha sido vendida por mais e com uma cozinha mais feia. E ainda levamos todos os appliances: fogão, geladeira, lavadoura de pratos, lavadoura e secadora de roupas. E um basement para finalizar a fim de ganharmos mais um cômodo na casa.

Saímos do local às 11 da noite. Mais ainda não proprietários. O que assinamos foi uma promessa de compra e venda condicionada à aprovação do mortgage (que conseguimos) e a home inspection (que detectou alguns problemas e que nos fez assinar os papéis finais somente hoje).

O próximo passo agora é contatar o advogado para conseguir o title insurance (para evitar fraudes com a casa, terreno e/ou problemas futuros envolvendo a casa e que o advogado não conseguiu descobrir nas suas pesquisas) e outros trâmites legais, assinar os papéis do mortgage e então esperar pelo dia 23 de novembro para fazer o closing, pagar o que falta e pegar as chaves. De 26 a 30 de novembro fazemos a mudança, e começamos dezembro na nova casa. Já demos o aviso para o senhorio dizendo que estamos nos últimos 2 meses.

Eis algumas fotos da casa. Ela tem 7 anos e segundo a inspeção anda precisando de alguns reparos, nada fora do comum (fora o "vazamento" no banheiro de cima que os donos aceitaram pagar pelo conserto, a ser realizado até 14 de novembro). Este modelo de casa é conhecido por semi-detached. É basicamente 2 casas coladas uma na outra. A nossa é aquela que fica na direita da foto.


Vista frontal

Backyard e o deck

Entrada da casa


Sala de estar, sala de jantar,
cozinha e porta de acesso para o backyard

Visão dupla

Setembro foi um mês meio paradão, onde apenas 2 grandes eventos tiveram lugar: primeiro foi o início oficial de caça a uma casa. O segundo evento foi algo pessoal, que durou até alguns dias atrás (29 de setembro foi o dia que comecei a me sentir normal).

Tudo começou por volta do dia 5 de Setembro, quando cheguei no serviço com uma sensação estranha. O dia parecia estranho. Não sabia explicar muito bem o que era. E o mesmo sentimento voltou no dia seguinte. E na sexta-feira o problema chegou com toda força.

Passei a sexta-feira inteira com uma dor de cabeça bem na região central da testa e não conseguindo focar muito bem a tela do computador. Fui tocando assim mesmo. Na volta para a casa a situação começou a piorar. E para complicar, bem na hora que peguei a 401 começou a chover e com um acidente bem perto da entrada que pego para a highway.

No dia seguinte fomos a uma walk-in clinic, ainda sem meu cartão de saúde, e sem bem entender o que estava acontecendo comigo. Eu estava achando que podia ser sinusite ou alguma outra doença, pois 2 colegas de serviço tinham estado doentes e fiquei muito tempo com eles em reuniões.

Pela conversa do médico o diagnóstico foi visão dupla. Por "sorte", como vim a saber depois, em apenas 1 dos olhos, o esquerdo. O que poderia ser um bom sinal. Outro bom sinal é que eu não tinha nenhum outro sintoma mais grave: desequilíbrio, tonteira, sentindo cheiros e gostos do nada e por aí vai.

Não dá para explicar como ter visão dupla é algo incômodo. Não poder nem caminhar direito e muito mesmo dirigir. Foram 2 semanas tendo que ir de carona para o serviço. E as compras do final de semana eram um parto, pois tinha que dirigir praticamente com um olho só.

Na segunda dia 17 tivemos que ir em um optometrista, que depois de ter feito alguns exames, não conseguiu achar nada de errado com meu olho. E nos recomendou ir para a emergência do hospital para poder consultar um oftalmologista. Porque: primeiro por não termos médico de família e depois porque mesmo se tivéssemos poderia ser que a gente não fosse atendido logo. Pelos critérios daqui eu não seria caso de emergência.

Bom, fomos para o hospital por volta das 13:00. E saí de lá as 19:30, depois de ter falado com um médico residente, feito exame para diabetes (negativo) e insistido para um exame mais detalhado (me fizeram um cat-scan e não acharam nada).

No dia seguinte fomos para o oftalmologista que requisitou uma ressonância magnética. Isso porque ele também não achou a causa do problema. O que parecia estar acontecendo era que o olho esquerdo não estava se mexendo o suficiente para poder fazer o ajuste necessário para focar os objetos. Quase como se eu tivesse um problema em um dos músculos que controlam o movimento dos olhos. Detalhe: ressônancias podem demorar meses para serem feitas por conta das filas de espera. Mas o doutor deu um jeito e acabei fazendo o exame dia 26 de setembro.

Ainda falta ir ao médico novamente após ele ter o resultado da ressonância para ver se alguma coisa foi detectada.

Mas felizmente, por enquanto, o problema parece ter se auto-solucionado. Conforme eu pesquisei na internet outros casos são assim: surgem e desaparecem do nada. Por enquanto, por via das dúvidas, sem lente de contato.

Fim do probation

Dia 18 de setembro marcou o fim oficial do meu período de probation aqui na Dapasoft. Este período não é nada mais do que os famosos meses de experiência no Brasil. E que se não estou enganado também são 3 meses.

O fato "engraçado" disso tudo é que o período poderia ter acabado um pouco antes, pelo menos, para fins da compra da casa.

Por volta do dia 7 estava sozinho na cozinha comendo meu almoço, quando chegou a esposa do dono da empresa. E ela começou a puxar assunto, perguntando se meu amigo havia comprado uma casa. E ela perguntou quando eu ia comprar a minha. Eu falei que ainda estava em probation, então teria que esperar.

Conversamos mais algumas coisa, até que chegou o dono da empresa, o Stephen. A esposa comentou com ele que eu queria comprar um casa, mas ainda estava em probation. O cara olhou para mim meio espantado: Probation !? No probation, I'll give you a letter saying you're out of probation.

Fiquei pasmo, mas super alegre :)

Depois do almoço mandei email agradecendo e na segunda eu consegui a tal carta. E foi assim que temos início ao processo da compra da casa. Mas isso fica para outro post. ;)

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

O que é o que

Digamos que, hipoteticamente falando, você consiga sobrevoar a famosa rodovia 401 ao redor das 05:00 - 06:00 da tarde. Você, no entanto, não tem a menor noção que aquela é de fato a 401.

Você vê uma fila gigantesca de carros e caminhões indo em direção contrária ao centro de Toronto. Das alternativas abaixo, qual você escolheria:
a) As pessoas estão todas fugindo de uma invasão alienígena?
b) As pessoas estão fugindo de um cometa que vai atingir a cidade?
c) GodZilla está solto?
d) Pessoas saindo de férias?

Se você escolheu qualquer uma das alternativas acima, sinto muito, você errou. :)

Esta fila enorme é nada mais que commuting: pessoas que trabalham em Toronto e moram nas cidades ao redor.

Eu faço isso todos os dias. Da porta da minha casa até a porta do escritório, 1hr. Num dia muito bom consegui fazer o caminho em 30min. Mas tive sorte.

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Voltei!

Bom, depois de meses fora, resolvi voltar para escrever um pouco. A vida aqui tem sido muito legal, claro que sinto falta da família e dos amigos, mas falo com a mamis todos os dias !!!! O Klaus sempre pergunta, mas vocês tem assunto para falar todos os dias?! Sim!!!!

Piores são os dias especiais como tivemos o Dia do Amigo e o Dia dos Pais, nossa foram pra matar.

Fora isso, tudo indo muito bem, já estamos morando na nossa casinha e de carro novo. Meu inglês vai indo né.... agora vou fazer um outro curso, financiado pelo governo onde vou receber 8 dólares/hora (salário mínimo) para fazer o tal curso, e no final eles te ajudam a arrumar um emprego. Legal não é?! Legal mas dá um frio na barriga, daqueles de sair correndo sabe? Tipo, o curso começa na segunda e já vamos começar fazendo simulações de entrevistas. Hã? Como assim? Sim, quero só ver. A sorte é que a Mônica vai estar por perto, o que diminui um pouco o tal friozinho na barriga. Três dias por semana de curso mesmo e dois dias por semana (quinta e sexta) seremos enviados a alguma instituição para serviços voluntários. Duração do curso, 4 semanas.

Mudando de assunto, hoje vou ligar para marcar o meu primeiro corte de cabelo no Canadá, pintar pinto em casa, porque só pra que vocês saibam só o corte vai me custar míseros 35 dólares !!! Não fosse eu ser meio atrapalhada podia até ser cabeleireira né?! Ai ai ai, coitadinhos dos cachorrinhos, hahahahah

Falando em ser meio atrapalhada, estamos morando aqui nessa casa faz um mês e já consegui quebrar três copos! Um deles o Klaus não sabia ainda, mas aqui é um bom lugar para ele ficar sabendo J. Apesar de eu ter dito pra ele que não tinha gostado dos copos que ele escolheu e que não fazia mal porque copo “quebra” né?! Acabei quebrando todos sem querer mesmo!

Nossos finais de semanas também tem sido muito legais, graças aos nossos amigos! Semana passada fomos fazer pic nic, com direito a andar de barco, tomar banho no lago, nossa estava muito bom mesmo! Domingo fomos na missa, em português, do Brasil, em Toronto na Igreja do Santo Antônio! Podia ir mais vezes mas além de ser um pouco longe só tem domingo as 6:30 pm (isso para Brasileiros né!).

Acho que era isso, no mais tudo bem, a Duda está bem, tadinha passa os dias dormindo porque está longe do amiguinho, porque quando estão juntos minha nossa, é aquela festa! Mas em outubro vou ver se ela namora e quem sabe terá uma filhinha para cuidar e brincar com ela!

Beijo

p.s.: vou ver se escrevo mais seguido!



quinta-feira, 16 de agosto de 2007

E o verão vai acabando

Não é nada ainda muito significativo. Mas já dá para perceber que o verão está acabando por estas bandas:

Já está escurecendo mais cedo, os pássaros já estão indo para o sul, já não faz mais tanto calor (fora o começo do mês, quando andou fazendo uns 40 graus em Toronto), não tem tanto mosquito de noite e já começaram as propagandas de vendas de material de esportes de inverno e também de roupas de inverno.

Só espero já estar na minha própria casa quando o inverno chegar. Nem pensar em fazer mudança com aquele ventinho gélido batendo !!

Estes chineses

Está sendo minha primeira experiência de trabalho in loco com gente de outros países, especialmente, chineses. E devo confessar que eles caíram muito no meu conceito. Não é de admirar que produtos chineses são sinônimo de baixa qualidade. Talvez sejam apenas os meus colegas que sejam fracos e em algum outro lugar existam chineses que possam provar que estou errado, mas por enquanto, minha opinião permanece.

Alguns exemplos de coisas que só se vê aqui:
  • "Para que colocar uma mensagem pedindo para o usuário confirmar a ação? Se o usuário clicou no botão é porque ele quis clicar !"
  • "Auditoria ? Porque? Isso é complicado e vai fazer o sistema ficar lento. E o sistema nem tem dados importantes!"
  • "Para que fazer isso ?? É muito complicado !!! Se for para fazer que o cliente nos pague mais", depois da auditoria ter sido solicitada.
  • "Onde tem a matriz de responsabilidades?", cerca de 3-4 semanas após um e-mail ter sido enviado indicando que todos os arquivos do projetos, inclusive a tal matriz, estavam em um site na intranet da empresa.
  • "Ah, não precisa disso então ?", 1 dia após um e-mail ter sido enviado dizendo que não se precisaria mais daquela tal coisa.
  • "A gente não sabe como o Oracle faz as queries"
  • "Mas vão vir muitas linhas, as tabelas no banco de dados tem muitas linhas", para uma tabela que não tem nem 500mil linhas.
Esta não veio de um chinês, mas eles meio que concordaram com isso:
  • "Por que gravar mensagens de erro em um arquivo? Consome recursos, é difícil de achar as coisas, não tem identificador único, etc, etc, etc. Por que não gravar em um banco de dados"
É inacreditável como tudo é complicado para este pessoal. E quando as coisas não são complicadas parece que o pessoal faz de conta que te ouve e tudo entra por um ouvido e saí por outro.

Além disso tem a forma de se pensar nos softwares, que deve ser algum conceito que só existe aqui na América do Norte. Já tinho visto isso nos sistemas da Dell e aqui acontece o mesmo. O conceito é mostrar para o usuário apenas a quantidade de informação que o usuário necessita ver num determinado momento. Só que isso é feito de uma forma muito esquisita: as coisas não aparecem na tela e nem numa aba diferente. A medida que as ações vão sendo tomadas alguns controles são ou não exibidos na tela. Ou seja, simplesmente olhar uma tela não te diz o que tu pode fazer nela, pois se tu clicar no botão A pode ser que apareçam 2 outros botões, mas se tu antes clicar num caixa de seleção e depois no botão A uma caixa para entrar texto também seja exibida !!!!! Eu era até contra as abas, mas depois que se vê uma coisa dessas, virei fã de abas. Não mostra muita coisa para o usuário numa única página, mas ao mesmo tempo deixa o usuário ver tudo que possa vir a aparecer na tela, sem maiores surpresas.

Se eu trouxesse toda a minha ex-equipe do Terra para cá, e montássemos uma empresa, em pouco tempo seríamos líder de mercado. E isso não é puxação de saco não, é a realidade.

Enfim, o meio de transporte

Amanhã fará 1 semana que estamos com nosso meio de transporte. E que meio de transporte: Honda Civic 2007, prata, LX, 4 portas, automático e com ar-condicionado.

Depois de já ter andando quase 800km com ele, entre passeio no sábado e idas e vindas ao serviço, posso dizer que ele não é um meio de transporte apenas. É um tremendo carro. E dizer que aqui no Canadá o Civic não passa de um sedan, digamos, comum. É o carro que mais se vê na estrada, entre modelos atuais e antigos. Para se ter uma idéia. No último sábado eu estava com o carro estacionado no lado de fora da garagem, e perto, tinha um outro carro estacionado. Fiquei olhando para ambos e para minha surpresa, o meu carro parecia uma coisa tão simples !!

Mas isso tudo só depois de muito stress. Depois de toda a negociação no último sábado, ainda tive que ficar ligando para a concessionária da Honda por 3 dias seguidos, até conseguir que o leasing fosse liberado. Coisa que só aconteceu depois de ter conseguido um fiador. O que mais me stressou nisso tudo foi o fato que a concessionária da Honda não me ligava. Quando eu ligava ficava sabendo que faltava mais um papel e depois outro, e outro. Um saco só.

Então na quinta-feira eu marco para pegar o carro na sexta de tarde, 17:30. Detalhe: na sexta a concessionária fecha as 18:00. Saí do trabalho mais cedo, cheguei em casa, descansei, e 17:10 saímos para pegar um ônibus que passaria 17:19 perto de casa e chegaria 17:30 na concessionária. E não é que o ônibus atrasou? Só foi passar 17:37 !!!!

Por sorte o meu fiador, o pai do Wagner, veio nos buscar. Chegamos uns 10 minutos antes de fechar a loja. Deu para ver que os caras não gostaram muito. :)

Assinei os papéis, o vendedor fez uma tour mega-hiper-super-rápido do carro, levou ele para fora da concessionária e me deu as chaves. E logo ele fechou as portas da loja :)

Hoje eu passei lá para pegar meu tapetes de borracha, que o vendedor disse que tentaria me conseguir, mas era seu day-off. Vou passar lá outro dia e aproveitar para tirar uma dúvida: aparentemente, o ar-condicionado, sob certa condição, fica ligado mesmo quando a luz indicadora fica apagada. Notei isso hoje: o carro estava quente, de ter ficado sob o sol, e mesmo ligando apenas a circulação interna e com o vento indo para o pára-brisas o carro ficou geladinho. Pode isso? E não parece defeito do meu carro porque o carro do Wagner também tem disso.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Honda Civic

Este último sábado fomos a revenda da Honda aqui de Withby decididos a sair de lá com uma boa compra em mãos. Sinceramente, tenho minhas dúvidas que a compra tenha sido boa, mas pelo menos o valor mensal do leasing não ficou muito alto. Mas até chegarmos lá, demorou.

Começamos logo de manhã. Desta vez, pegamos um outro vendedor, que nos tratou com muita mais atenção do que da primeira vez. Pode também ser porque agora chegamos decididos a comprar e não apenas especular preços e condições.

As negociações começaram para um Civic 2007 DX-G. Porém, fomos ver os carros no pátio, para ter uma idéia de cor, e acabamos mudando para um Civic 2007 LX. Pensei: se é para ficar com um carro por 4 anos, então que seja um carro um pouco melhor e mais bonito.

Voltamos a mesa e conversa vai, conversa vem, adiciona isso, remove aquilo, e a parcela do LX ficou em $331, contra $297 do DX-G. Os adicionais eram os mesmos: kit de segurança e splash guard traseiro (o dianteiro é de série).

Ficamos indecisos. O vendedor trouxe o chefe dele, que nos perguntou: o que vocês precisam para comprar o carro? Deu vontade de dizer que era para vender por $200 ao mês :)

Bom, fomos para casa, pesquisamos no site da Honda e vimos que não tínhamos ganhado desconto nenhum no LX. Lígamos para o vendedor que ficou de nos ligar e explicar os números. Até então o foco era a parcela do leasing. Tentei mudar o foco para o valor final do carro e não tive muito sucesso. Parece que o vendedor viu onde eu queria chegar e acabou não me dando os valores que eu queria. Frustrados, fomos novamente na Honda para tentar entender os números.

Chegamos lá e descobrimos que o desconto estava sendo dado apenas no valor a ser pago na entrega do veículo !

Ficamos acho que mais 1 hora lá, tentando abaixar o preço e colocar mais a garantia estendida de 48 meses (para igualar ao prazo do leasing). Novamente, conversa vai, conversa vem, o vendedor negocia com o chefe dele e eles aceitam nossa proposta final: $320 (que se tornaram 321.48 não sei porque e nem perguntei, de tão cheio que estava da negociação) por um Civic LX 2007, com kit de segurança, splash guards traseiros e garantia estendida.

Quando fomos assinar a promessa de compra ainda me ofereçam mais coisas, que elevariam a parcela para $350. Mas não aceitei porque não sei se o que foi oferecido me traria real benefícios. Um deles, o que mais me chamou atenção, foi um dispositivo que mantém uma carga elétrica ao redor da lataria prevenindo choques e mais importante, prevenindo ferrugem. Vou pesquisar melhor e se isso se provar útil, instalo depois, só que sem poder colocar o valor nas parcelas mensais do leasing.

E foi isso pelo sábado. Além disso já paguei $500 do valor a ser pago na entrega, como depósito.

Acredito que amanhã recebamos a resposta final da Honda, dizendo que fomos aceitos para o leasing. O maior obstáculo poderá ser meus 2 meses de emprego. Mas acho que dando uma entrada, como estou fazendo, e tendo como endereço anterior o do Wagner (que também comprou carro lá) as chances de serem aprovados são grandes. Aprovados, quarta-feira eu pego o carro e já saio com ele da revenda (toda a burocracia inicial é com eles, que colocam o custo no valor a ser pago na entrega).

Compras e mais compras

Ainda no ritmo de compras para a casa nova, nestas últimas semanas compramos mais alguns itens.

Primeiro, foi a TV e o DVD player, no final de julho. Comprei um Philips, 27 polegadas, tela plana, refurbished, por $149 antes das taxas. E um DVD Sony também refurbished por $39.90 antes das taxas. A TV é bem boa, com bons recursos, mas o DVD deixou a desejar: tentei isso ontem, mas JPG e MP3 ele não toca.

Ainda não assinei TV a cabo. Quero esperar um pouco até as contas estabilizarem e também quanto de desconto vou ter, pois seria o terceiro serviço com a Rogers, fora os celulares e a internet. Que dá vontade de assinar, isso dá. Mas vamos com calma. Felizmente tem uma lojinha aqui perto com aluguel de DVDs, por $3.48 por dia, antes das taxas. Até que para uma lojinha a variedade é boa.

E neste último sábado compramos o nosso tão necessário aspirador. Com a casa toda com carpete, exceção a área da cozinha, estávamos precisando de um. Depois de alguma pesquisa na Internet, por preço e configurações, optamos por um aspirador sem sacola para poeira e de 12 amperes (a potência de aspiradores não é medida em watts, e 12 amperes é a potência máxima dos aspiradores de uso residencial). E devo dizer que a compra foi boa. Além dos requisitos anteriores, o aparelho tem um seletor que permite escolher desde chão liso até carpete alto. E logo na estréia, deu para notar que ele é bom, pois o que juntou de sujeira!!! Foram duas semanas na casa, sem aspirador, com a Duda soltando pêlos. Mas o aspirador deu conta. :)

Feriados no Canadá

A coisa boa dos feriados aqui no Canadá é que eles caem sempre na segunda, gerando os famosos long weekend.

Hoje, por exemplo, é Civic Holiday na província de Ontário e mais algumas outras.

Para a lista completa de feriados públicos (e portanto oficiais) temos este link aqui: Public holidays and other important dates.

O próximo feriado só em 3 de Setembro, que será o Dia do Trabalho (Labour Day).

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Toronto 41 graus

Está muito quente aqui em Toronto.

Na hora do almoço sai para depositar meu paycheck e deu para sentir o calor. Pior que a temperatura está até que baixa: 33 graus. Mas a sensação térmica é de 41 graus !!!


segunda-feira, 30 de julho de 2007

Terra do frio ?

Pois pense novamente.

Hoje, a previsão do tempo para Toronto, até o dia 06 de Agosto, é de muito sol e calor.

As temperaturas ficam na casa dos 30-31 graus, porém, a sensação térmica é muito maior. Para o domingo, dia 05 de Agosto, a sensação térmica é de 39 graus !!!

domingo, 15 de julho de 2007

Espanando o pó

Ok, ok.

Mais de um mês desde o último post. Mas as coisas andaram corridas por aqui neste período. Vou tentar fazer um apanhado de tudo num grande resumo.

Moradia
  • Nos mudamos da casa de nossos amigos para uma townhouse que estamos alugando. Depois de muitas ligações, muitos "sorry, no pets" e "sorry, it´s seniors only (65+)", achamos um local legal. Fizemos a proposta de aluguel, fomos aceitos, porém a casa só ficaria vaga em 17 de Agosto. Depois de muito tentar falar com alguém para saber se poderíamos nos mudar antes e ter "ameaçado" começar a procurar aluguel por conta própria, o corretor que estava me ajudando se mexeu e nos achou um lugar. Mais caro que o original, porém com 3 quartos e apenas 2 andares (o anterior era 2 quartos e 3 andares). O lado bom deste novo local é que fica mais perto do supermercado e tem uma lavanderia comunitária ($1 para lavar e $1 para secar, pago direto na máquina).
  • A casa é legal, mas até nos acostumarmos com os barulhos dela vai levar um tempo. Já estamos a duas semanas aqui e ainda não me acostumei.
  • O complexo aqui deve ser para pessoas de baixa renda. Tu vê cada criatura por aqui que vou te contar. Não são miseráveis, mas parece que o complexo este é a "vila" aqui da redondeza. Mas é tranqüilo. Dia desses deixamos a chave da porta dos fundos do lado de fora, e nada aconteceu nem sumiu. :)
Emprego
  • Já fiz 1 mês de Dapasoft. E faz 1-2 semanas que o primeiro projeto que participei finalmente começou a andar. Segundo o que foi comentando em uma reunião da equipe que presta serviços para a Gerdau isso foi atípico e devido a introdução de uma nova metodologia de prestação de serviços, com mais documentações e formalismo.
  • Agora que o projeto está andando, estou praticando mais o inglês falado, já que estou tendo que clarificar dúvidas dos desenvolvedores e descobrir alternativas para alguns problemas que temos (fazemos assim ou assado?).
  • Uma coisa deu para perceber neste tempo na empresa: informática é a mesma coisa aqui ou no Brasil. O que muda, na minha opinião, é apenas a língua.
  • Se os brasileiros fossem mais sérios, teriam mais chances de terem um país melhor. Porque qualidade nós temos, pelo menos, levando em consideração os profissionais de informática que conheci. Tem gente fraca por aqui, minha nossa.
  • Chineses não são aquele bicho papão que pintam. A menos que os gênios estejam em outras empresas.
Carro
  • Isso é assunto para um post exclusivo, já que está uma lenda. Fui deixando, deixando, para fazer a prova prática. Quando fui fazer, dia 23/07, consegui rodar. Foi uma cadeia de acontecimentos na manhã da prova que me fizeram ir para o exame de cabeça quente e querendo acabar logo a prova. Resultado não podia ter sido diferente.
  • Pior de tudo que depois da prova, andei uns dias sozinho com o carro do Wagner, indo e voltando pela 401. E fiz tudo certinho !! Olhar pontos cego, fazer esquerda-direita-esquerda nas intersecções, olhar espelhos regularmente.
  • Tentei fazer a prova de novo ontem, agora, para conseguir a G2. Esperei das 06:30 as 09:30 da manhã para descobrir que tenho que esperar 10 dias entre os testes. Agora é ou esperar para 31/08 e fazer de novo no mesmo local onde tentei a G, ou ir bem cedo para Morningside, dia 04, ficar na fila de espera e conseguir a carteira antes do final de Agosto. Ficar sem carro aqui é praticamente ficar preso em casa ou fadado a esperar horas por ônibus (que ainda por cima são caros, $2.75 uma passagem).
  • Fiz uma cotação para um Toyota 2008. Seriam $196 por mês, para um contrato de 6 meses. Devia ter escutado meu instrutor de direção e ter feito primeiro a G2 (ou ter dito mais experiência no trânsito daqui). Se com G2 o seguro é assim barato, imagina com G.
Adaptação
  • Falo apenas por mim agora. Mas a adaptação está sendo tranqüila.
  • Estou conseguindo entender melhor as pessoas, sem ter que me esforçar muito. E está cada vez mais fácil achar as palavras para me expressar, sem ficar me enrolando muito. E a pronúncia ainda está carregada. Mas estamos apenas a 2 meses aqui. E faz pouco tempo que estou falando mais seguido. Com o tempo a coisa melhora.
  • A Letícia também anda muito bem. Nem 2 meses e já fala com as pessoas !! Ainda não tomou coragem para falar ao telefone mais seguido, mas está indo incrivelmente bem no meu entender.
  • Acredito que o grande desafio vai ser quando chegar o inverno. As lojas já estão fazendo propaganda de roupas para o outono. Pegamos um catálogo da Sears onde a maioria das roupas são de meia-estação.
  • Não se acha amaciante líquido por aqui. Apenas uns lenços que se coloca na secadora junto com as roupas. E eles funcionam. A roupa fica macia e com um cheiro muito bom.
  • Tem coisas bizarras por aqui, para quem está acostumado ao Brasil:
    • micro-saia pode mas fio-dental não pode;
    • gente com cada roupa mais feia e fora de propósito na rua;
    • transferência de dinheiro no banco precisa ser através de e-mail enviado para o beneficiário; para colocar algo em débito automático se envia um cheque com a palavra VOID escrita na frente do cheque;
    • pagamento de contas via internet banking é feita adicionando-se a empresa e o número da conta do serviço (para um cartão de crédito, por exemplo, o número da conta é o número do cartão).
    • no meu caso pelo menos o salário é um cheque que precisa ser depositado.
    • o cartão de crédito é mensal, mas o vencimento do pagamento é quase 3 semanas após o fechamento da fatura. Até o pagamento o saldo não pago fica contando no limite de crédito. Logo, as vezes é bom pagar tão logo a fatura chegue, para liberar o crédito.
    • separar o lixo, que aqui é muito mais sério. Se o pessoal que recolhe achar que tem lixo do tipo errado num saco, eles não levam e te deixam um bilhete explicando. Hoje achamos um "manual" num guia telefônico. Vamos deixar perto da geladeira, porque tem coisas que tu acha que é lixo descartável mas que na verdade é reciclável e vice-versa. Só não achamos ainda o calendário de recolhimento. Ficamos nos baseando nos vizinhos :)
    • montamos todos os móveis que compramos e precisavam ser montados. Perguntei quando sairia para montar a mesa da cozinha: $55. Com este dinheiro prefiro eu comprar as ferramentas e eu mesmo fazer (foi o que fiz, só que peguei ferramentas emprestadas. Mas ainda vou comprar a minha toolbox, a se vou)
Próximos passos
  • A Letícia vai começar agora em agosto um programa que auxilia a conseguir um emprego. Tomara que dê tudo certo e ela consiga algo. Agora que nos mudamos nem mais a renda de cuidar de crianças e cachorros ela tem mais
  • Vamos comprar uma TV e bicicletas. Para ter o que fazer de noite e podermos passear com a Duda. :)
  • Fazer a infame da prova de direção e comprar nosso carro.
  • Começar a procurar uma casa. Tão logo eu saia de probation saímos do aluguel e vamos para o mortgage. Dependendo, o valor é quase o mesmo, só que estarei comprando algo e não apenas ajudando outra pessoa com o meu dinheiro.

segunda-feira, 25 de junho de 2007

Primeiro emprego

Deveria ter escrito isso na semana passada, mas ela foi bem corrida.

Hoje é o aniversário de 1 semana do meu primeiro emprego aqui no Canadá !!!! Graças a ajuda do Wagner, estou já trabalhando.

Comecei dia 18/06 (3 semanas após minha chegada ao Canadá) como Business Analyst na Dapasoft, uma empresa que presta serviços para a Gerdau Ameristeel.

Até o momento não tive nenhuma grande surpresa. O ambiente de trabalho é diferente do ambiente do meu último local de emprego, mas, para o meu jeito de ser, nada de tão chocante. Já tive um pouquinho de experiência na Dell, logo não achei nada tão estranho. O que é estranho é ouvir chinês/mandarim ou seja lá qual for o idioma. No outro lado da minha baia (ou cube) tem uma chinesinha que fica quase o dia todos falando em chinês!!!!

A "proliferação" de chineses na empresa deve ter, na minha opinião, ligação direta com o fato do dono da empresa ser um imigrante chinês (cujo inglês, convenhamos, é complicado de entender). Mas não posso reclamar dele. Afinal, ele também me deu uma força. Acredito nisso porque um dia desses, no elevador, ele me perguntou como andava as coisas. Eu disse que era bom voltar a trabalhar e ele disse que isso que é bom nos imigrantes: eles não tem medo de trabalhar! No que concordo com ele :)

O projeto que me deram para trabalhar é relativamente simples. Um sistema unificado para cadastro de ocorrências de segurança nas plantas da Gerdau. O problema é que desde segunda passada parece que nada andou. O líder técnico estava de férias, o contato na Gerdau estava viajando e estava difícil contatar ela e na sexta passada fiquei sabendo que a gerente de projeto está se mudando para outra cidade e deixando o emprego!!! Hoje ela me conta que irá passar as tarefas dela para o líder técnico. Estou só vendo. Da última vez que o mesmo líder técnico pegou um projeto, uma outra pessoa teve que tomar conta. E esta pessoa também era um business analyst. Vamos ver no que dá isso.

A empresa guarda similaridades com a última que trabalhei, pelo menos, em alguns aspectos e em algumas fases:
- está crescendo, mas ainda precisa de estruturar melhor
- nas baias o tecido é laranja
- também fica no quinto andar
- também tem horário flexível, começando as 9 e indo até as 6, com 1 hora de almoço (ok, aqui é mais ou menos parecido, pois no Brasil eram 08:48 por dia. Aqui faço apenas 8hrs por dia, e rende tanto quanto).

Um dos meus receios, por enquanto, não tem nada a ver com o trabalho em si. Nesta 1 semana de trabalho pude notar que o serviço é muito similar ao que se faz no Brasil. O meu receio é em relação a língua.

Quando vim para cá em 2005, fiquei apenas 1 mês, e parece que o inglês melhorou bastante. Mas naquela época eu ficava falando inglês quase que 24 hrs por dia. Agora, fiquei 3 semanas só no português. E nesta 1 semana de trabalho falei muito pouco, pelos motivos descritos antes. Espero, e tenho convicção, que a medida que for falando mais durante o dia, o meu inglês vai melhorar. E isso é importante para a posição em que estou.

quinta-feira, 14 de junho de 2007

Verdades e Mitos sobre Canadá - parte 2

Continuando.
  • O limite de velocidade é obedecido ao pé da letra: na grande maioria das vezes é assim. Mas depois que se estuda o guia usado para a prova teórica e prática, se descobre que para levar algum ponto na carteira por dirigir em excesso de velocidade é necessário estar indo entre 16km/h e 29km/h mais rápido que o limite estabelecido (ganha-se 3 pontos neste caso). Então, na prática, todos andam a uns 10km/h mais rápidos que o limite. No entanto, perto de grupo de estudantes ou quando se fica com receio de que alguma pessoa faça algo brusco, os motoristas (a maioria deles) reduz. E também quando se passa perto de algum lugar onde a polícia costuma ficar parada, esperando para pegar algum imprudente.
  • As roupas de baixo são feias (este é especial para as mulheres) : depende de quanto a pessoa está disposta a gastar. Mas sim, é possível achar coisa decente. Vale o mesmo para qualquer outro tipo de roupa, para homes e mulheres.
  • Internet banking: nisso o Brasil está anos a frente. Fui tentar recarregar de créditos a conta do Skype. Das opções disponíveis a única que me servia era transferência bancária. Bem, escolhi esta opção e no final da transação apareceu em que conta eu deveria fazer o depósito, que seria no Bank of Montreal (BMO). Só que pelo EasyWeb do TD não tem como fazer !! O sistema exige que o destinatário tenha um e-mail, pois é assim que a pessoa será avisada. Só que no comprovante de compra dos créditos eu não tenho isso. Apenas um identificador da transação e um código Swift. Cheguei a ver com o banco e me deram 2 opções: fazer um depósito em dinheiro ou pagar $30 para fazer a transferência. Pode isso ? Vou ter que esperar a transação ser cancelada (se é que ela será) e tentar novamente após chegar nossos cartões de crédito VISA do TD.
  • As coisas aqui funcionam melhor: isso depende do critério. Se for velocidade, os serviços brasileiros são mais rápidos. Revelação em 1 hora ? No Brasil sim, aqui isso pode levar bem mais que 1 hora. Quanto aos outros critérios, ainda preciso de mais tempo para ter uma opinião.
  • Métodos de construção (um deles pelo menos): Veio um pessoal fazer um serviço aqui no backyard da Rosa, colocando uma pedras em parte do gramado. Eles usaram argamassa para juntar as pedras ? Não. Apenas colocaram as pedras uma perto das outras e jogaram uma areia fina em cima. E mandaram ficar varrendo, de tempos em tempos, para que a areia preenche-se os vazios. Tem alguma pedra mais alta que a outra ? Simples: fique pisando nela até assentar. Sinceramente, porque isso ? Até os antigos romanos já conheciam argamassa !!!
  • Auto-atendimento em supermercados: Isso eu vi, até agora, em apenas 1 supermercado. Nele, há alguns caixas (4), onde a própria pessoa passa os produtos no leitor de código de barra, embala e paga os produtos. Para não dizer que é tudo por conta da pessoa, eu vi um funcionário do mercado perto destes 4 caixas. Não sei se controlando se a pessoa passa o produto ou não no leitor, ou se apenas para ajudar caso alguém precise de ajuda.

Verdades e Mitos sobre Canadá - parte 1

Até chegarmos aqui, e vermos com nossos próprios olhos, há uma série de coisas que achamos que aqui não acontece ou acontece de forma diferente.

Eis uma lista de coisas que notei até agora:
  • Todos os motoristas obedecem todas as leis ao pé da letra: não é bem assim. As placas de STOP por exemplo. São poucos os que fazem uma parada completa. A maioria vai indo, devagar, e segue ou dobra. Vale o mesmo quando se está dobrando a direita num sinal vermelho, onde a maioria vai indo e verificando se pode. Pela lei, em ambos os casos deveria-se fazer até no máximo 2 paradas completas.
  • Todos os canadenses pagam seus impostos: não é bem assim. Fiquei sabendo que alguns empreiteiros (pessoal que faz algumas obras mais chatas para você) exigem apenas dinheiro em espécie. Se fossem pagos com cheque, por exemplo, teriam que se explicar.
  • Todos são corteses no trânsito: isso depende da cidade. Em Toronto o stress é maior. Cheguei inclusive a presenciar, há poucos dias atrás, um cara xingando um outro, em pleno centro da cidade. Em Whitby a coisa parece ser mais calma. Coisa de cidade pequena.
  • Não tem carne para comer: a variedade e quantidade pode não ser tanta como a de um Zaffari Bourbon. Mas para quem é carnívoro é possível sim achar carne por aqui. Só que ela vai ser um pouco cara. E para quem entende mais, talvez os cortes não sejam aqueles aos quais a pessoa está acostumada (isso depois que a pessoa entende a qual corte cada nome em inglês se refere).
  • Não tem panela de pressão aqui: isso foi uma discussão acalorada em um grupo de discussão do qual participo. Tinha uma pessoa querendo levar uma panela de pressão junto. E não é que vimos panelas de pressão no Canadian Tire ? :)
A medida que for me lembrando ou descobrindo novas coisas vou colocando aqui

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Primeira aula de direção

Hoje foi o dia da minha primeira aula de direção.

O instrutor havia dito um horário, mas fiquei sem entender qual era, se era 09:45 ou 10:45. No fim ele apareceu perto das 10:00 mesmo. Porque não entendi o horário ? Primeiro o sotaque dele, que ainda é meio carregado mesmo ele estando aqui há anos. E segundo porque ele não falou "09:45" mas sim "quarter to 10". Fica complicado assim :)

Antes da aula expliquei o que queria e logo partimos para a lição. Peguei o carro da Rosa emprestado, pois provavelmente será nele que irei fazer a prova. E tão logo saímos ele notou uma rachadura no parabrisa, e comentou que aquilo poderia ser um problema. Na hora da prova de rua, o instrutor pode se recusar a fazer a prova se o carro não estiver em excelentes condições e eu ainda perco 50% do valor da prova, que custa $75.

A aula de hoje foi relativamente simples, mas algum vocabulário era novo para mim:
  • em qualquer parada indicada, não desligar o carro. Desligar o carro somente quando terminar o teste;
  • emercengy roadside stop: sinalizar, parar paralelo ao meio fio, ligar o pisca-alerta, colocar em park e puxar o freio de mão, nesta ordem. Detalhe: só porque se mandou parar não é para parar em qualquer lugar. Eu parei próximo demais de um caminho de pedestres, do lado oposto da rua. E além disso, antes de parar, sempre verificar, na ordem, espelhos e ponto cego.;
  • hill stop: parar em subida ou descida. Neste caso, verificar espelhos e ponto cego, sinalizar, parar, colocar em park, virar o volante na direção apropriada e puxar freio de mão;
  • three-point turn: olhar espelhos, ponto cego, sinalizar para a direita e parar. Sinalizar para a esquerda, verificar o ambiente, virar a direção toda para a esquerda e andar. Parar, sinalizar, colocar ré, verificar ambiente, e dar ré, olhando para trás, pelo ombro direito. Verificar o lado do ombro esquerdo também. Parar. Sinalizar para esquerda, engatar o drive e ir para frente;
  • Nas preferenciais, só parar se vier vindo carro, senão, segue adiante;
  • Onde não tiver placas, pode-se dobrar a esquerda ou direita sem precisar parar;
  • Sempre ler as placas de sinalização. Elas são várias, mas sempre estão onde deveriam estar. Dá para confiar nelas;
  • Para saber se a luz amarela vai surgir, verificar a sinaleira de pedestres. Uma mão piscando indica que o sinal vai fechar;
  • Sempre olhar espelhos;
  • Antes de parar, olhar retrovisor, e ir parando devagar;
  • Para mais longe da faixa branca grossa. Se um carro vier de trás, ainda haverá espaço para não atingir pedestres que estejam atravessando;
  • Ao entrar em rodovias expressas, usar bom senso. Mas sempre deve-se acelerar o máximo na faixa de aceleração, para já chegar aos 100km/h quando estiver em posição de entrar na pista. Se tiver um carro lento, se acelera. Se tiver um carro rápido, se reduz a velocidade. O instrutor pode perguntar as razões para os movimentos feitos;
  • Nunca trocar de faixa em cruzamentos ou abaixo de sinaleiras;
  • Nunca trocar de faixa junto com outro carro. Ou se acelera ou se reduz;
  • Numa curva para esquerda, em cruzamento com sinaleira, não ficar em cima da crosswalk se tiver outro carro na frente, fazendo a curva para a esquerda também. Quando o carro estiver fazendo a curva é que se começa a fazer a curva. Logo que entrou, mudar para a faixa da direita, quando for seguro;
Felizmente (ou não), minha prova para a licença G só vai ser dia 23/07. Não consegui marcar antes pois não havia mais horário. Sexta agora vou ter outra aula com o instrutor. Se tiver já melhorado um pouco na direção e tiver condições, me mando para Oshawa e fico na fila de espera para tentar fazer a prova antes e me "livrar" deste stress. Como o instrutor me falou: em uma prova, na escola, 2+2 = 4. Depois, se tu quiser que 2+2 sejam 8, tudo bem. :)

terça-feira, 12 de junho de 2007

Carteira de Motorista G1

Hoje fui fazer a prova escrita e exame de visão, para tirar a carteira G1. E passei !!! Ok, já poderia ter tentado tirar a carteira G, mas como sou cauteloso, resolvi atacar o problema por partes. Além disso, estava precisando de um documento canadense com foto e endereço, e como meu PRCard ainda não veio (só o da Letícia), fazer a prova para G1 era a forma mais rápida de conseguir este documento de identidade, que é bem importante por aqui.

Peguei emprestado o carro da Rosa e fui sozinho até o centro de direção, localizado em Oshawa. É o único local perto de Whitby com um centro de direção credenciado.

Para quem não sabe, em 1990 ( ou 1994, não me recordo ), foi instituído um sistema de graduação para quem quisesse dirigir carro, vans ou SUVs. Neste sistema, a pessoa começa com a licença G1, que permite dirigir um carro desde que no banco da frente, no lado do passageiro, esteja alguém com a licença G. Além disso, não é permitido dirigir em rodovias com limite de 80km/h ou mais, dirigir de madrugada e dirigir com álcool no sangue (qualquer que seja o nível).

Para a G1 se precisa apenas fazer uma prova escrita, de 40 questões. São 20 teóricas e mais 20 relacionadas aos sinais. Precisa acertar 16 em cada grupo de 20. No meu caso, errei 1 questão em cada grupo. Mas tudo bem !! :) Recebo minha carteira pelo correio.

Feito a G1, é possível fazer um teste de direção e se passar, conseguir a licença G2. Normalmente, é necessário ficar 12 meses na G1 (8 meses se for feito um curso de direção licenciado pelo governo). Na G2 já é possível ir na rodovia, mas o nível de álcool ainda precisa ser zero.

Deve-se ficar mais um tempo na G2, ganhando experiência, até fazer mais um teste de direção, desta vez, pegando uma rodovia expressa, como a 401, onde o limite é 100km/h, e fazendo outras manobras mais complexas. Maiores informações sobre o trânsito aqui em Ontario neste site. É o site oficial do ministério dos transportes da província.

Só a G1 me custou $85, que engloba o teste escrito ($10) mais a licença ($75). Por alguma razão não precisei pagar o teste de direção ($40). Para fazer a prova de direção para a G, vai ser mais $75. Graças a uma carta do consulado (aliás, o original fica com o pessoal do centro, mas eles dão uma cópia), aceita pelo governo canadense, não vou precisar ficar esperando os 12 meses na G1 para poder fazer a G2 e então G. Posso pular direto para a G. E deve ter sido por isso que não paguei a prova de direção. Não me lembrava qual era a outra taxa e acabei não perguntando.

Amanhã faço minha primeira aula com um instrutor licenciado, para tirar dúvidas. Vamos ver no que dá.

domingo, 10 de junho de 2007

Passeio de barco

Sábado agora fomos passear com o barco que o pai do Wagner comprou recentemente. A viagem teria sido uma viagem qualquer, não tivesse acontecido o que aconteceu. No fim, foi até engraçado.

Pegamos a estrada por volta das 13:00 e fomos em direção norte. Eu dirigindo o Civic para ir me acostumando com o trânsito daqui. Após 1 hora de estrada chegamos em uma marina em Cesarea (pronuncia-se cezarría em inglês). Barco na água, equipado com GPS e sonar, colocamos os coletes salva-vidas e começamos o passeio. Éramos 6 pessoas no barco, que suporta até 7 pessoas.

Depois de um tempo andando, paramos na beira do lago porque o motor do barco estava fazendo um barulho estranho, segundo falaram. O dono do barco vou ver e não achou nada errado. Seguimos então viagem, acompanhamento uma carta náutica, bóias e o GPS.

O lugar era mesmo muito bonito, com várias casas na beira do rio. Algumas casas bonitas e outras nem tanto. Mas a paisagem era linda. E o dia também colaborou, com sol, pouco vento e temperatura muito agradável.

Fomos navegando até a cidade de Linday, onde pegamos uma eclusa, ou lock em inglês. A eclusa é, para a descida que pegamos, toda manual. 2 pessoas fecham as comportas do lado que viemos, e 1 pessoa abre para o lado em que iríamos continuar. No total acho que o desnível era de uns 5-7 metros. O responsável pela eclusa ainda nos falou: "A eclusa fica aberta até as 19:00". Eram cerca de 16:00 e a idéia não era mesmo ir muito longe. Mal sabíamos o que iria acontecer

Andamos mais um pouco, vimos mais algumas casas e, quando já estava acabando os lugares bonitos, decidimos voltar. E foi quando aconteceu o incidente/acidente.

Pouco depois da curva ter sido feita, já no caminho de volta, o motor do barco apaga. Aparentemente, a safety key foi atingida (ela fica bem próxima do joelho direito, no banco usado pelo piloto), o motor morreu e água entrou no motor (naquela hora não sabíamos disso, fomos saber depois).

Por sorte isso aconteceu perto de um acampamento de trailers e perto de 2 pescadores em um barco. Os pescadores nos rebocaram até uma das docas e um senhor nos ajudou a atracar. A ajuda dos pescadores veio bem a calhar, pois estávamos derivando para fora do canal em direção a margem, cheia de algas. E os remos do barco ainda não haviam sido montados.

Logo depois que atracamos veio mais um cara ver o que tinha acontecido, enquanto aquele senhor foi buscar um mecânico. Depois de muitas tentativas, aquele mecânico disse o que achava que tinha acontecido. Mas não conseguiu arrumar o motor. Ou seja, estávamos "encalhados" !! :D

O que fizemos: o dono do barco ligou para um amigo dele, que veio nos buscar. Mas até ele chegar, e achar o local, levou-se mais de hora.

Mas a diversão não acabou nisso. Tivemos que levar o barco da doca onde estávamos para outra mais perto do local onde poderíamos tirar o barco da água. E como fazer isso sem motor ? Remando claro ! :)

Só que tínhamos apenas 2 remos pequenos, de plástico. Ao ver isso aquele primeiro senhor que nos ajudou a atracar nos emprestou 2 grandes remos de madeira. Munidos deles, fomos entre 4 pessoas remando até a outra doca. E com gente na margem fazendo gracinha e perguntando se queríamos gasolina. :)

Colocamos o barco na doca e esperamos. Assim que a carona chegou, as mulheres e o dono do barco foram juntos, enquanto fiquei com o Wagner esperando o pai dele voltar com a caminhonete e o trailer do barco. Eram 20:20 quando começamos as manobras para colocar o barco no trailer. Só chegamos em casa pelas 10:30. Meia hora depois consegui tomar um banho e jantar.

E assim acabou o passeio de barco mais inesquecível que tive até agora :)

quinta-feira, 7 de junho de 2007

Earning money

Após 1 semana e alguns dias, já fiz meus primeiros dólares no mercado financeiro canadense, mas especificamente, na poupança.

CAN$4,93.

Ok, não é grande coisa, mas já é um começo :D

Entrevista de emprego

Segunda, 04 de Junho, foi minha primeira entrevista de emprego aqui no Canadá. Também foi minha primeira entrevista de emprego totalmente em inglês e onde os entrevistadores tinham esta língua como língua materna.

Ela aconteceu 1 semana após minha chegada no Canadá, e foi na mesma empresa onde trabalha um amigo brasileiro. Passei esta primeira semana sem me preparar muito para a entrevista. Acredito que apenas na quinta-feira, de junho, em que acabei passando a manhã e parte da tarde lendo sobre entrevistas de emprego. As perguntas mais feitas e respostas para elas, a apresentação, o comportamento, etc. Foi bem cansativo.

Até iria fazer uma entrevista de treino, mas no fim, não deu tempo. Nunca estudei em véspera de prova, e não faria diferente só porque era uma entrevista. Fui dormir no domingo a noite já me concentrando para a entrevista.

Na segunda me acordo bem cedo, cerca de 6:45 e começo a me preparar. Tomo o café da manhã com a barriga um pouco embrulhada, mas consigo comer alguma coisa e tomar um café com leite. Volto para o quarto e começo a vestir meu terno. Sim. Além de ser em inglês eu teria que usar um terno. Fazer uma boa primeira impressão e tal.

As 08:00 e pouco saímos de casa, eu e meu amigo, que trabalha na empresa e me daria a carona. Estava chovendo e ainda teríamos que enfrentar a rodovia 401. Felizmente, mesmo com a chuva e o horário, não pegamos a rodovia lenta. O trânsito fluía devagar mas fluía. A minha entrevista estava marcada para as 09:00.

Chegamos no prédio por volta das 09:05. Esperei na recepção até a recepcionista chegar, coisa que aconteceu logo. Ela ligou e o um dos entrevistadores chegou. Entramos na sala e esperamos o outro entrevistador. Enquanto isso conversávamos amenidades.

Logo a outra pessoa chegou. Após uma rápida introdução, começou a entrevista. A primeira pergunta ? "Fale-me de você". :)

Fiz um resumo rápido do currículo e fiquei aberto a perguntas. Uma das perguntas que me chamou a atenção foi relacionada ao trabalho voluntário. A primeira pessoa me perguntou o que eu fazia lá.

Depois da entrevista, que durou aproximadamente 1hr (não cuidei o tempo), voltei para falar com este meu amigo que trabalha lá. O segundo entrevistador perguntou se ele não gostaria de fazer um tour comigo pela empresa. Logo começamos. Fui apresentado ao fundador da empresa, um líder técnico e um gerente de projeto. Depois disso, este meu amigo me levou para a estação de metrô, para voltar para Whitby.

Comecei a viagem de volta as 11:00 e só cheguei em casa às 13:30. Foram 2 metrôs e um trem.

O que achei da entrevista ? Pessoalmente, acho que até que saí bem, considerando que foi em inglês. Se tivesse sido em português teria me saído melhor. A atitude que assumi me pareceu correta, só que tentar se vender numa língua que ainda não domino é complicado.

Ontem fiquei sabendo que um outro concorrente foi contratado para esta vaga. Ele já tinha sido entrevistado antes e conhecia o setor de metalurgia, ao contrário de mim. Porém, parece que vai abrir outra vaga, para outro projeto. E o líder técnico que conheci falou, na reunião onde foi anunciada a contratação deste outro cara, que seria necessário um outro business analyst para a função. E um dos diretores falou para este meu amigo, que também estava na reunião, que eles vão ver se me contratam.

Entre a entrevista na segunda e hoje, já apliquei para 9 outras vagas, em outras empresas, inclusive, para uma vaga na IBM. Vê só !! :)

Vamos ver no que dá. Depois da entrevista, mais especificamente após terem respondido uma pergunta que fiz sobre a empresa, achei que me daria bem nesta onde fiz a entrevista. Devo voltar a me lembrar e praticar os ensinamentos que o "The Secret" fala.

domingo, 3 de junho de 2007

Retrospectiva da semana

Já faz 1 semana que estamos no Canadá.

Até agora parece que a ficha ainda não caiu. Quero dizer, ainda não entramos na rotina diária que irá nos dizer que estamos aqui para ficar e não apenas de férias.

Nesta semana nós já:
  • Abrimos conta no banco ( no TD )
  • Conseguimos nosso SIN Number
  • Passeamos em Ajax by the Lake
  • Fomos diversas vezes a mercados e lojas de 1 dólar, e flea markets
  • Visitamos o Wal-Mart e outras grandes lojas
  • Joguei golfe pela primeira vez
  • Fomos (eu, Letícia e Mônica) de trem até Toronto, obter os papéis que permitirão eu e Letícia tirar uma licença G, o último nível aqui no Canadá, para dirigir carros e vans e SUVs
  • Fomos pescar em Oshawa (antes tivemos que tirar nossas licenças de pesca desportiva, que nos permitem apenas pescar e depois devolver os peixes)
  • A Letícia comprou os seus tão esperados novos óculos de sol
  • A Letícia conheceu de perto esquilos e chip monkeys, no centro de conservação animal perto de onde estamos
  • A Letícia já fez seu primeiro trabalho como babysitter, e ganhou seus primeiros dólares
  • Já dirigi algumas vezes, para pegar as manhas daqui
  • Já comecei a estudar o manual para a prova teórica de direção
  • E amanhã terei minha entrevista de emprego
Por enquanto é isso.

Agora que consegui recuperar o atraso, tentarei manter o blog mais atualizado.

Chegamos em Whitby

Isso aí mesmo.

27/05/2007. Estamos em Whitby, hospedados temporariamente na casa de amigos, até acharmos nosso próprio local.

A viagem até aqui foi muito cansativa, incluindo aí tanto o tempo de espera do processo como o tempo de viagem mesmo, de Porto Alegre a Toronto. Mas chegamos todos bem.

Assim que passamos pela imigração e resolvemos tudo, fomos recebidos por nossos amigos. Depois de carregar a Grand Caravan com todas a malas, embarcamos 5 pessoas e um cão em direção a um Tim Hortons :) Que delícia provar aquele café com sabor hazelnut (o recheio do Ferrero Rocher é o que mais de aproxima do sabor e cheiro).

Depois, 401 em direção a Whitby. Levamos uns 30 minutos, mais ou menos, para chegar lá. O meu cansaço era grande.

Chegamos e logo fomos arrumando o nosso novo cantinho. 4 malas abertas e dê-lhe bagunça. No final, ficamos com 3 malas vazias e 1 cheia com roupas e coisas que não vamos usar por um tempo, como roupas de inverno rio-grandense.

Antes de finalizar tudo, fomos almoçar. Depois do almoço, um pouco mais de arrumação e saímos para o Wal-Mart, comprar algumas coisas que estavam faltando, como mais alguns gaveteiros de plástico e cabides. Voltamos e continuamos na arrumação, até que finalmente, demos o primeiro passo por encerrado (ainda haveriam outras arrumações entre a chegada e o dia de hoje, tentando deixar o quarto mais próximo de uma organização eficaz. Como disse a Letícia, é quase toda nossa casa em um quarto).

No final da tarde, 18:00 e pouco, fomos jantar no Montana, comer frango, pão de milho doce, salada e batata assada com recheio de legumes. Nem preciso contar que eu havia dormido quase nada desde a noite passada.

Voltamos para casa e ainda fiquei acordado até umas 23:00, quando finalmente fomos dormir.